Warning: ksort() expects parameter 1 to be array, object given in /home/conte104/public_html/anacristinasilva.com.br/wp-content/plugins/bbpress/includes/core/template-functions.php on line 316
Motivação: como criar energia em sua equipe! - Ana Cristina Silva

Motivação: como criar energia em sua equipe!

Motivar sua equipe: 9 maneiras super eficazes
October 10, 2016
Show all

Motivação: como criar energia em sua equipe!


Sua equipe pode ter todos os conhecimentos do mundo, mas, se eles não estão motivados, é improvável que eles atinjam seu verdadeiro potencial. Tenha como foco a motivação!

Já observou que quando você está motivado, tudo parece mais fácil? Pois assim também será se você mantiver sua equipe motivada! Vamos então aprender sobre as teorias de motivação?!

Pessoas motivadas tem sempre uma perspectiva mais positiva, trabalham animados com o que estão fazendo e sabem que estão investindo seu tempo em algo que realmente vale a pena. Em suma, as pessoas motivadas desfrutam de seu trabalho, são mais felizes e tem um bom desempenho.

Todos os líderes eficazes buscam fazer com que suas organizações priorizem estar repletas de pessoas trabalhando assim, neste estado de espírito. É  por isso que é vital que você, como líder e gestor, se preocupe em manter sua equipe motivada e inspirada.

E agora você deve estar pensando: OK, isto é mais fácil de concluir do que de fazer, não é mesmo?

Neste artigo, nós falaremos sobre as principais teorias, estratégias e ferramentas que você pode usar para ajudar sua equipe aumentar o nível de entusiasmo com seu trabalho.

Tipos de motivação

Existem dois tipos principais de motivação – Motivação Interna e Motivação Externa

A motivação externa é quando você usa fatores externos para incentivar sua equipe. Aumentos salariais, folgas, Bônus financeiros, e até ameaça de perda de emprego são todos os motivadores externos – alguns positivos, e outros como este último, nem tanto.

A motivação interna como o próprio nome diz é interna, é sobre como você pode incentivar o membro de sua equipe a  ter um desejo pessoal de superar um desafio, produzir trabalho de alta qualidade, ou interagir com os membros da equipe de forma confiável. Pessoas que conseguem desenvolver estes sentimentos, normalmente obtém muita satisfação e prazer com o que fazem.

Cada membro da equipe é diferente, e provavelmente vai ter diferentes motivadores. Então, é importante que você invista tempo para conhecer a equipe. Descubra o que os motiva, e assim reuna um bom conjunto de motivadores internos e externos que se encaixem no perfil do grupo, de modo que você possa motivá-los com sucesso.

E porque “cargas d´água” a motivação importa tanto?

Motivação

Você não pode controlar diretamente o interesse de uma pessoa em seu trabalho. Claro, um indivíduo tem alguma responsabilidade sobre motivar a si mesmo, mas você pode incentivar esse processo, criando um ambiente que  vai ajuda-lo a tornar-se mais internamente motivado. Indivíduos, equipes e até mesmo organizações inteiras podem colher os frutos.

Pessoas motivadas se adaptam muito bem a qualquer situação, especialmente quando se trata de mudanças. Além disto pessoas assim tem uma atitude positiva no trabalho. Eles ajudam a espalhar a boa reputação de uma organização, a reduzir as taxas de absentismo, e melhorar o desempenho e lucro. Eles também trabalham duro para alcançar seus objetivos, e trabalham com um maior sentido de urgência do que as pessoas desmotivadas.

Você pode utilizar os seguintes passos e estratégias para criar um ambiente motivador:

Passo 1: Observe suas crenças sobre a equipe e seus membros

Você pode não perceber, mas seu estilo de gestão é fortemente influenciada pelo que você acredita sobre seu time.

Por exemplo:

  • Você acha que os membros da equipe não gostam de trabalhar e precisam de supervisão contínua?
  • Ou, você acredita que eles estão felizes em fazer o seu trabalho, e é provável que gozam de maior responsabilidade e liberdade?

Esses dois tipos de crença fundamentais, formam a espinha dorsal do conceito de motivação de equipes de Douglas McGregor, a teoria X e Y.

Teoria X – Nesta teoria, chamada por McGregor de “Hipótese da mediocridade das massas”, ele parte do pressuposto de que os trabalhadores possuem uma aversão nata à responsabilidade e às tarefas do trabalho, necessitando sempre de ordens superiores para render alguma coisa no trabalho.

Teoria Y –  Nesta teoria a coisa muda de figura. Aqui os trabalhadores são encarados como pessoas altamente competentes, responsáveis e criativas, que gostam de trabalhar e o fazem como diversão.

Consegue perceber através da informação acima que, suas crenças sobre o que motiva os membros de uma equipe afetam a maneira como você se comporta em relação a eles?

Então, é importante pensar cuidadosamente sobre como você enxerga sua equipe, e explorar o que você acredita que vai  realmente motiva-los. (Pode ajudar a pensar sobre isso usando sua própria perspectiva:  qual qual das teorias você mais se identifica? Você se sentiria bem sendo liderado por um líder da teoria X ou da teoria Y?)

Passo 2: Eliminar a insatisfação e criar a satisfação

Segundo Frederick Herzberg  você pode motivar sua equipe, primeiro eliminando elementos de insatisfação com o trabalho, e, em seguida, criando condições para a criar a satisfação no trabalho.

Em sua teoria , ele observou como causas de insatisfação muitas vezes surgem a partir de políticas irritantes da empresa, supervisão intrusiva, ou a falta de segurança no emprego, entre outros. Se você não tratar dessas questões, as pessoas não vão ficar satisfeitos no trabalho e motivá-las será um trabalho difícil, se não impossível.

Depois de remover os elementos de insatisfação no trabalho, você pode partir para proporcionar satisfação. Fontes de satisfação no trabalho incluem oportunidades claras de progresso / promoção, um aumento do senso de responsabilidade, formação contínua e programas de desenvolvimento, ou simplesmente uma sensação de trabalhar com propósito.

Etapa 3: Personalize sua abordagem motivacional

Lembre-se, sua equipe é composta de indivíduos que têm as suas próprias experiências únicas. Consequentemente, cada pessoa pode ser conduzido por diferentes fatores de motivação, e ser mais ou menos adepto de auto motivação. Quando você faz um esforço para compreender cada membro da equipe, e ajusta sua estratégia de motivação ao que entende ser mais adequado a cada indivíduo, você pode ajudá-los de uma forma melhor.

Há uma série de ferramentas e estratégias que você pode usar para personalizar a sua abordagem para a motivação – e nem todos são completamente consistente com o outro. No entanto, é importante lembrar que cada situação é individual e é diferente, por isso certifique-se de que você escolheu a teoria ou modelo que melhor se adapta ao contexto em que será aplicada.

Vamos explorar isto em mais detalhes:

  • Teoria de três fatores de Sirota – argumenta que existem três factores cruciais que motivam as pessoas. Estes são Justiça , Orgulho Camaradagem . Você pode ajudar a garantir que os membros da equipe permaneçam motivados e positivos através da incorporação de cada um desses fatores em seu trabalho.
  • Teoria das necessidades adquiridas de McClelland – é sutilmente diferente. McClelland acreditava que todos nós temos três pilotos diferentes, a necessidade de realização, poder e associação, com um deles sendo dominante. A identificação da necessidade predominante nas pessoas no ambiente profissional permite que se elaborem estratégias de comportamento para lidar com elas de forma mais eficiente.
  • Hierarquia das Necessidades de Maslow – identifica cinco necessidades que todos nós temos, desde o mais básico ao mais complexo. Estas necessidades são fisiológico / corporal , segurança , amor / pertença , auto-estima e auto-realização (no sentido de fazer o que você nasceu para fazer). Hierarquia de Maslow é normalmente apresentado em uma pirâmide – você coloca as necessidades básicas na parte inferior, porque você precisa para atender a essas antes de poder tratar qualquer um dos outros mais complexos. De acordo com esta abordagem, você pode motivar sua equipe, abordando todos os níveis.
  • Teoria Progresso de Amabile e Kramer – destaca como progredir e atingir pequenas “vitórias” pode ser motivador. Ele sugere seis coisas que você pode fornecer a equipe: metas e objectivos claros , autonomia, recursos , tempo , apoio , e capacidade de aprender com os erros – estes fatores dão às pessoas a melhor chance de fazer progressos reconhecível e significativos no trabalho.
  • Você também pode usar Teoria das Expectativas – para criar um ambiente de trabalho forte, motivando onde o alto desempenho é padrão. Esclarece a relação entre esforço e resultado , e você pode usá-lo para adequar recompensas motivacionais com as preferências dos indivíduos.
  • De acordo com o Efeito Pigmalião , suas expectativas podem afetar o desempenho dos membros da equipe. Por exemplo, quando você duvida de que alguém vai ter sucesso, você pode fazê-la sentir desvalorizado e minar a sua confiança. O Efeito Pigmalião é útil porque reforça a ideia de que você pode incentivar as pessoas a ter um melhor desempenho no trabalho por ter e comunicar expectativas deles.
  • Claro, não é só o dinheiro que importa, e compreender a estratégia da compensação pode ajudá-lo a estruturar recompensas externas para sua equipe. Se você recompensar as pessoas com aumentos na base, desempenho ou pagamentos em grupo por desempenho, entendendo as diferenças entre eles, e os seus benefícios inerentes, pode ajudá-lo a estruturar a compensação financeira de uma forma mais motivadora.

Passo 4: Use Liderança Transformacional

A motivação é vital no local de trabalho, mas para manter seus efeitos é necessário trabalhar sua liderança. Uma vez que você usou as abordagens motivacionais que discutimos acima, você precisa para dar o próximo passo para se tornar uma inspiração: ser um líder transformador.

Quando você adota este estilo de liderança, você pode motivar e levar sua equipe a novos patamares, ajudando-a  a alcançar coisas extraordinárias. Os líderes transformadores esperam grandes coisas dos membros da equipe, e eles desencadeiam sentimentos de confiança e lealdade em troca.

Para se tornar um líder transformador, você precisa criar uma visão atraente sobre o trabalho e sua atuação, inspirar um futuro significativo, incentivar as pessoas a comprar para esta visão, gerir a sua entrega, e continuar a construir relações de confiança com membros de sua equipe. Separe um tempo para desenvolver suas habilidades de liderança, e se concentrar em seu próprio desenvolvimento pessoal, de modo que você pode se tornar um modelo inspirador para sua equipe.

O que aprendemos hoje!

Como gestor, seu objetivo é manter os membros da equipe motivados e entusiasmados com seu trabalho. É importante encontrar um equilíbrio entre os motivadores externos, tais como aumentos salariais e alterações às condições de trabalho e motivadores internos, como a atribuição de tarefas prazerosas às pessoas.

Em primeiro lugar, analisar as suas próprias crenças sobre o sua equipe. É importante lembrar que provavelmente eles vão responder mais positivamente quando você usa um estilo participativo de gestão, onde eles têm a responsabilidade e pode tomar suas próprias decisões.

Em seguida, use motivadores de Herzberg para eliminar quaisquer causas de insatisfação entre os membros de sua equipe e, em seguida, tomar medidas para introduzir elementos de satisfação.

Todo mundo é diferente, então adaptar sua abordagem motivacional para cada membro da equipe. Há muitas estratégias e ferramentas que você pode usar, mas, quanto mais você conhecer e compreender cada indivíduo, mais eficazes seus esforços serão.

Finalmente, lembre-se a importância da liderança para motivar os membros da equipe e incentivando-os a superar suas expectativas. Ao tomar medidas para se tornar um líder transformador, você pode incentivar a fidelidade e confiança, e inspirar, apoiar e reconhecer os outros. Mais do que isso, você pode inspirá-los a alcançar coisas extraordinárias.

Até a próxima!


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *